A Comissão Nacional Católico-Luterana. Retrospectiva e desafios

Ervino Schimidt

Resumo


Resumo: Na passagem dos 35 anos de existência da Comissão Nacional Católico-
Luterana, o autor começa recordando os fatos que antecederam a criação desse órgão
de diálogo oficial. Depois de lembrar que, no período colonial, o catolicismo era a religião
do Estado, mostra como essa situação mudou a partir da Constituição imperial de 1824,
que assegurava, embora ainda com restrições, a liberdade de culto. Esse ano marca a
vinda da primeira leva de imigrantes alemães ao Brasil. Com a República, em 1889, veio a
separação entre Igreja e Estado. A Primeira Conferência Missionária mundial, em 1910, na
Escócia, preocupou-se com a unidade entre os missionários das diversas denominações,
priorizando a evangelização da Ásia e da África. O Congresso Missionário do Panamá,
em 1916, voltou-se para a evangelização da América Latina, unindo-se numa polarização
anti-católica, não assumida pelos luteranos. Grande marco ecumênico foi a criação do
CMI, Conselho Mundial de Igrejas, em Amsterdam, 1948. As décadas de 50 e 60 foram
caracterizadas pelo avanço do diálogo ecumênico, principalmente entre luteranos e católicos.
O Concílio Vaticano II, 1962-65, reconheceu o Ecumenismo. Em 1975 realizou-se,
em São Paulo, o primeiro Encontro Ecumênico de Dirigentes de Igrejas, congregando
católicos, luteranos, anglicanos, e metodistas, surgindo pouco depois a Comissão Nacional
Católico-Luterana, ativa até hoje. Passo notável foi dado em 1998, com a publicação do
documento conjunto sobre a “Justificação por Graça e Fé”.

Abstract: In the light of the 35th anniversary of the National Catholic-Lutheran Committee,
the author starts assembling some relevant facts anteceding the start of the organization
engaged officially in mutual dialogue. After recalling the Catholic religion in the colonial
period as the religion of the State, the situation underwent a change in the promulgation
of the Imperial Constitution of 1824 by securing the rights of freedom of religious worship,
albeit with some restrictions. This year is a significant event remembering the first wave of
German immigrants arriving in Brazil. With the transition from the Empire to the Republic in
1889 came the separation between Church and State. The first missionary conference on
a world wide extent happened in Scotland in 1910 and was concerned with a consensus
among the missionaries of various denominations with special emphasis on the evangelization
of Asia and Africa. The Missionary Congress of Panama in 1916 dealt with the
evangelization of Latin America, converging on an anti-Catholic polarization, which was not
endorsed by the Lutherans. A great step forward in ecumenism was taken with the creation
of the World Council of Churches (CMI) founded in Amsterdam in 1948. The following
decades of the fifties and sixties gained special characteristics by the advancement of the
ecumenical dialogue between Catholics and Lutherans. The Vatican Council II (1962-65)
gave its approval to Ecumenism. In 1975 was held in Saint Paulo the first Ecumenical Meeting
among the leaders of the Churches, assembling Catholics, Lutherans, Anglicans, and
Methodists. Shortly afterwards came into being the National Catholic-Lutheran Committee
still effective up to today. An important step forward was taken in 1998 with the publication
of the joint document about “Justification by Grace and Faith”.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Encontros Teológicos

ISSN 2525-846X


Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.