A Bíblia, "alma" da Lumen Gentium?

Ney Brasil Pereira

Resumo


Passados 40 anos da promulgação da Lúmen Gentium, o Autor investiga
a fundamentação bíblica desse documento e se pergunta, retomando
uma expressão da Dei Verbum, se a Bíblia foi sua “alma” inspiradora.
Repassa, com esse critério, o texto dos quatro primeiros capítulos, e
faz as suas constatações e questionamentos. Como todos reconhecem,
ressalta o embasamento bíblico dos dois primeiros capítulos, sobre o
“mistério da Igreja” e o “povo de Deus”, e constata um certo desequilíbrio
nos dois capítulos seguintes, sobre a Hierarquia e o Laicato, nos quais
predomina a dogmática sobre a exegese. Esse desequilíbrio, porém,
inerente à condição humana, mesmo dos documentos do Magistério,
não deve impedir a “recepção criativa” da Constituição.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Encontros Teológicos

ISSN 2525-846X


Licença Creative Commons

Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.